Estudo da AMC aponta que 860 vidas foram preservadas no trânsito de Fortaleza em quase seis anos

Foto: Prefeitura de Fortaleza

Levantamento da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) aponta que 860 pessoas tiveram a vida preservada no trânsito de Fortaleza entre janeiro de 2015 e outubro deste ano. A projeção considera que ações e políticas de segurança viária evitaram acidentes com maior severidade e mortes.

O número é calculado tendo como base a tendência de óbitos anteriores às consecutivas reduções de vítimas fatais registradas no trânsito da Cidade nos últimos seis anos. Antes de 2015, a variação de mortes apresentava uma tendência estável com média de 355 óbitos por ano. A partir disso, é feita a projeção para os anos seguintes.

Em 2020, o sexto ano consecutivo de redução de mortes no trânsito da Capital, foram estimadas 357 mortes no trânsito, mas consolidou 193 óbitos; o que significa que 164 vidas foram poupadas no período. Este ano, até outubro, foram 155 registros de óbitos diante de uma projeção de 292. Até o momento, foram 137 vidas preservadas.

Redução nas mortes

As estatísticas mostram queda nos números de mortes no trânsito de Fortaleza. O trimestre de agosto a outubro deste ano registrou o menor número de mortes nas vias da Capital nos últimos 20 anos. A redução foi de 53%. A redução da violência no trânsito é atribuída às ações conjuntas que envolvem educação no trânsito, engenharia, como a expansão das vias com velocidade de 50 km/h, e fiscalização preventiva.

Kátia Alves
Kátia Alves
Jornalista formada pela UniFanor, atua desde 2006 na área da comunicação. Também tem formação em Letras pela UECE e MBA em Gerência de Marketing pela Unichristus. Tem experiência em produção de telejornal e assessoria de comunicação. É revisora e redatora em uma agência de marketing e redatora do MÍDIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS
error: Conteúdo protegido por Direitos Autorais.