Intervalo entre vacinação e doação de sangue pode ser de dois a sete dias

Foto: freepik

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), equipamento vinculado à Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), informa que quem tiver se imunizado contra a Covid-19 deve aguardar entre dois e sete dias para fazer a doação de sangue. O Hemoce pede a população que doe sangue antes de se vacinar.

O órgão ainda informa que quem recebe as doses da vacina Coronavac, produzida pela chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, pode doar 48h após a imunização. Já quem toma o imunizante Oxford/AstraZeneca, produzido em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), tem de aguardar sete dias. Ao todo, o Ceará já recebeu mais de 300 mil doses de vacinas da AstraZeneca e da Coronavac.

“Nós relembramos a todos aqueles que podem, doem antes da imunização. Essa é uma maneira de exercer a cidadania sem precisar aguardar o período de inaptidão temporária da vacina. Antecipar a doação ajuda a manter o estoque dentro da regularidade e garante o atendimento transfusional de quase 500 unidades de saúde no Ceará”, afirma Denise Brunetta, diretora de hemoterapia do Hemoce.

Brunetta destaca, ainda, que a presença regular do doador é fundamental para garantir o atendimento dos pacientes. “Neste momento que está acontecendo um aumento de casos de coronavírus, é muito importante que o doador venha ao Hemoce para nos ajudar a abastecer o estoque de bolsas de sangue para quaisquer eventualidades”, orienta.

Intervalos

O intervalo entre a vacinação e a doação é uma recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), válida para todos os serviços de hemoterapia e hemocentros do País. De acordo com o órgão, a indicação garante maior segurança para doadores e pacientes que necessitam de transfusão sanguínea. O tempo de espera varia de acordo com a produção do imunizante. O Hemoce recomenda ainda que, se houver reação após a vacina, é importante que o voluntário só doe após sete dias

Como a vacina Coronavac utiliza a produção do vírus inativado (SarsCov-2) para imunizar, o tempo de intervalo é menor. Os imunizantes que utilizam outras tecnologias, como a vacina Oxford/AstraZeneca, que tem em sua produção outro vetor viral para garantir o desenvolvimento de anticorpos, é necessário um tempo maior para doar sangue.do desaparecimento dos sintomas.

Kátia Alves
Kátia Alves
Jornalista formada pela UniFanor, atua desde 2006 na área da comunicação. Também tem formação em Letras pela UECE e MBA em Gerência de Marketing pela Unichristus. Tem experiência em produção de telejornal e assessoria de comunicação. É revisora e redatora em uma agência de marketing e redatora do MÍDIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ÚLTIMAS
error: Conteúdo protegido por Direitos Autorais.